Christopher Alexander na 29ª Casa de Criadores

Foto: Lex Mendes

Na sexta-feira, 10 de junho de 2011, às 19h, Christopher Alexander, designer de acessórios sobre o qual a gente falou aqui apresentou sua nova coleção de brincos Belle Époque – Egito em uma performance no lounge do Museu Afro Brasil, momentos antes de iniciarem os desfiles da Casa de Criadores. Veja abaixo o vídeo convite luxuoso do happening feito por João Fabra:

CHRISTOPHER ALEXANDER BELLE ÉPOQUE – EGITO from joão fabra on Vimeo.

Segundo Christopher, a ideia inicial era fazer apenas um vídeo, porém ao longo do planejamento, o designer decidiu que pelos elementos que ele queria unir, uma performance ao vivo teria mais sentido. Isadora Krieger, conhecida de quem acompanhou a trajetória da marca AsGêmeas na Casa de Criadores, protagonista do vídeo-convite, abriu a performance declamando um poema de sua autoria chamado: das Mulheres.

Foto: Carolina Krieger

Foto: Carolina Krieger

Foto: Carolina Krieger

Segue abaixo o poema na íntegra:

das Mulheres

sim, sou mística sim,
sou mística, batizada na igreja protestante,
concomitantemente pagã, panteísta por instinto,
às vezes ibeji, Rosinha da Praia, noutras vezes pombagira,
em noites de lua cheia faço lá minhas reverências,
sou Lilith, feiticeira das bravas.

mas nunca sacrifico animais,
prefiro os bodes aos que desmerecem a condição humana,
sacrifico as daminhas de unhas francezinhas,
os pobres Jeremias, os que vedam O tesão,
os que ilusioramente enfraquecem o forte,
os que não fazem uso do cérebro, tampouco do coração,
os que menosprezam a linguagem do corpo,
os que colocam uma mordaça na bocarra da alma,
os que fogem do sim com o não,
os que fogem do não com o talvez,
os que com o talvez trocam de veste e te
emprestam a própria camisa de força,
os que chegam com as idéias prontas,
passadas de geração à geração.

ah! a liberdade de ser diversamente o que se é!
sem preâmbulos, reticências, sem doses comedidas,
sem as faces empilhadas no mausoléu da prudência,
todas as minhas mulheres em todas as esquinas,
Isaura na cópula, Maria diante da bacia d’água,
Marta dona de casa, Joana d’Arc na vida prática,
mãe canguru com o mundo em seu marsúpio.

minhas mulheres são assim, todas passionais,
gostam do batuque, da flauta hipnótica,
do interior rubro, do exterior atípico,
no pescoço uma mão lascivamente máscula,
nos lábios o lilás que um beijo agressivo traz,
possuem serpentes na cabeça e subindo pelas pernas,
Marias Madalenas, Teresas Batistas Cansadas de Guerra,
Sabinas, Sylvias, Bovarys, Hildas, Medéias,
até as Pollyannas vez em quando me demandam.

minhas mulheres erguem arcas de intempéries,
livram-se elegantemente das correntes enferrujadas,
levam na cabeça toda água do Pacífico dentro dum único vaso,
minhas mulheres também são salamandras,
alimentam-se de fogo e alimentam os seus com a mesma chama,
Anas, Ísis, amazonas, ninfas, Clarices, Diadorins, Afrodites,
minhas mulheres são assim, meio fêmeas, meio machas,
mas jamais homenzinhos, mulherzinhas só em tempos
de talhos inevitáveis, entrementes vão da dor ao
desprezo como um raio, cicatrizam suas
feridas como felinas, com a saliva da própria língua.

são suas bisavós, suas avós, suas mães, suas filhas,
mas antes são delas mulheres distintas,
minhas mulheres são todas vocês,
que assim como eu estafadas estão do encargo
de serem ininterruptamente,
Mulheres.

Na performance, a amiga e atriz Luiza Nóbrega, surge em cena vestindo um dos brincos de Christopher e se senta em um banquinho em frente à uma mesa com uma caixa em cima. Ela a abre e lá estão mais dois modelos de brincos do designer. Ela se arruma, troca o brinco e se dirige aos expectadores, mirando-os nos olhos. Para depois voltar a se sentar e realizar a troca mais uma vez. Tudo isso ao som de Nocturne Nº 16 – Op. 5, Nº 2 de Fryderyc Chopin, executado ao vivo pela pianista Erika Ribeiro.

Foto: Isabella Yumi

Christopher conta que se inspirou nos desenhos do Egito e na delicadeza e força própria de suas mulheres da Belle Époque, na virada do século 19 para o século 20, para desenvolver as peças de sua coleção. Há um vídeo da performance que está muito próximo de ser finalizado que em breve será dividido com vocês. Enquanto isso, vale matar a saudade de uns e curiosidade de outros com as fotos do delicado e impactante happening.

Foto: Isabella Yumi

Foto: Isabella Yumi

Foto: Isabella Yumi

Ficha técnica:
Pianista: Erika Ribeiro
Direção de Arte: Isabella Yumi
Make Up: Helder Rodrigues
Figurino: Juici by Liquor
Apoio: Metalúrgica Francana

Compartilhe: