A moda pode salvar o mundo? Aqui, 4 vezes em que o uso da sustentabilidade roubou a cena!

A internet sacudiu a forma de se consumir e desejar moda. Hoje compra-se muito mais e a gente sabe quais são as tendências na velocidade da luz. As consequências? Um ataque direto ao meio ambiente, principalmente com tantas liquidações e essa busca louca pela exclusividade. Por isso é tempo de repensar, e assim nasceu o slow-fashion: forma de consumo consciente que prioriza peças únicas, feitas à mão e com preços competitivos. Pois bem: a Casa de Criadores reúne abaixo cinco vezes em que moda e a sustentabilidade brilharam lado a lado. Pequenas ou grandes ideias geniais. O mundo agradece!

1. Joias feitas de suculentas da marca Passionflower Made

flower

Bracelete feito com leguminosas da Passionflower Made|| Créditos: Divulgação

Com a proposta de levar a beleza da natureza para produções de garotas cheias de estilo, a Passionflower Made – “boutique de flores”, como a marca define – nasceu em Michigan e cria joias com suculentas, plantas que armazenam bastante água. As peças da marca são muito usadas por noivas nos dias de seus casamentos, um toque “statement”. E você ainda pode plantá-las em seu jardim depois de usá-las. Ideia bem biruta, mas que veio para acrescentar!

2.Vestidos de festa feitos com garrafas pet recicladas do estúdio Eco-Age

Emma Stone no gala do Met em 2016 || Créditos: Reprodução

Emma Stone no gala do Met em 2016 || Créditos: Reprodução

Eco-Age é responsável por levar o slow-fashion para os tapetes vermelhos. O estúdio de soluções sustentáveis para a moda se alia a marcas de luxo para criar vestidos sustentáveis para estrelas de Hollywood. A moda ganhou força com Emma Watson, que deu pivô no gala do Met 2016 com vestido criado em parceria com a Calvin Klein. A atriz disse: “Ser capaz de reutilizar este desperdício e incorporá-lo em meu vestido para o Gala do Met prova o poder que a criatividade, a tecnologia e moda podem ter trabalhando em conjunto”. Em fevereiro deste ano, a atriz lançou no Instagram o perfil @The_Press_Tour, no qual divide suas produções usadas na turnê de divulgação do filme “A Bela e a Fera”, todas sustentáveis, e aproveita para discutir o impacto da moda eco-friendly.

3. Fast-fashion de bem com a natureza

hm

Vestido da Conscious Exclusive 2017 da H&M || Créditos: Divulgação

Até as fast-fashion, redes que oferecem tendências de passarelas a preços módicos e com capacidades produtivas gigantescas, também estão se rendendo à moda sustentável. Destaque para os grupos H&M e Zara. A rede sueca lançou a coleção Conscious Exclusive com um tecido chamado Bionic, feito com materiais de polyester reciclado provenientes de plásticos retirados da natureza em regiões litorâneas. Já a espanhola Zara recebe neste semestre em lojas selecionadas – incluindo algumas no Brasil – sua nova linha Join life, feita exclusivamente com algodão orgânico, lã reciclada e lyocell – produto natural obtido através da fibra da madeira.

Looks da coleção de estreia da linha Join Life da Zara || Créditos: Divulgação

Looks da coleção de estreia da linha Join Life da Zara || Créditos: Divulgação

4. Os sapatos veganos da Insecta Shoes

Sapatos veganos da Insecta Shoes || Créditos: Divulgação

Sapatos veganos da Insecta Shoes || Créditos: Divulgação

Entre as grifes brasileiras quem têm feito sua parte para salvar o planeta está a Insecta Shoes – marca vegana de sapatos. Os calçados são produzidos a partir de peças de roupas usadas, garrafas de plástico recicladas e sem nenhum uso de matéria-prima de origem animal. Em dois anos de vida, a marca se orgulha de reaproveitar 2.100 peças de roupas, 630 kg de tecido e mil garrafas PET. Se você, leitor, tiver mais dicas, comente abaixo!

Compartilhe: