Karlla Girotto, que se lançou nas artes, avisa: “Não comece uma marca de moda, a não ser que…”

Karlla Girotto entrou da maneira mais democrática possível na Casa de Criadores. “Eu enviei um portfólio, mais projeto, mais um look para uma chamada aberta do projeto LAB e rolou. Durante o dia eu trabalhava na Ellus e à noite costurava o desfile. O primeiro foi meio louco, feito às pressas, sem tempo de detalhar muita coisa. A partir do segundo desfile eu já não estava mais trabalhando na Ellus e pude me dedicar e realmente pesquisar e desenvolver uma linguagem”, conta ela, que é a entrevistada da vez para homenagear os 20 anos do evento e também contar pra gente suas novidades. E tem arte em cena! Confira abaixo o bate-papo!

karllaperfil1

A estilista e artista Karlla Girotto || Créditos: Acervo pessoal

Casa de Criadores – Qual o segredo do sucesso da Casa de Criadores, que completa 20 anos em 2017?
Karlla Girotto – “Tenho o maior carinho pela Casa de Criadores justamente porque eu vejo o evento como um local de resistência (se é que é possível colocar estas duas palavras na mesma frase: moda e resistência), no sentido de que a Casa nunca, de fato, abriu muito as portas para a voracidade neoliberal. Sempre soube preservar a preciosidade de seus criadores, seus modos de fazer e apresentar moda. Nunca perdeu de vista do que se trata uma semana de moda: apresentar aquilo que ainda não é statement, trendy e todas estas palavras horríveis que têm um único significado, que é a captura de subjetividades em produto. A Casa sempre se esforçou por preservar a moda que ainda não é moda-moda, ou seja, a moda que nasce do puro desejo de fazer um corte diferente na superfície do mundo. Mesmo que este corte derive em ‘coisas quantificáveis e vendáveis’, a força que existe por trás do gesto de cortar a superfície do mundo permanece. O Andre Hidalgo é o man por trás deste show todo, muito intuitivo e fiel aos seus princípios. Tem uma força e uma dignidade em acreditar em jovens talentos, fazer apostas, perder algumas, ganhar tantas outras. Tem um movimento vital nisso tudo – a vida se sobrepõe – que faz com que a Casa seja sempre atual.”

karlla2

Casa de Criadores – O que você tem feito atualmente?
Karlla Girotto – “Tenho me dedicado a produzir, mais e mais. De alguma forma, entendi que o que eu fazia na moda continua reverberando em mim e no mundo, da mesma forma que antes, mas não estou mais produzindo no sistema moda. A linguagem que prevalece agora é a das artes visuais: performance, vídeo, fotografia, instalação. Quando eu olho para o passado entendo que tudo o que faço hoje já fazia antes, mas como parte integrante de um desfile de moda. Além disso, coordeno o G>E grupo de estudos [lê-se Grupo maior Que Eu]. Deste grupo nasceu o Ateliê Vivo, que começou com as modelagens do meu antigo ateliê. São coisas que me dão alegria todos os dias.”

karlla3

Casa de Criadores – O que mais tem gostado na moda nacional e internacional?
Karlla Girotto – “Eu deveria até ver mais coisas, mas não vejo. Então vou nos classic rock da moda, que eu sempre amo: Rei Kawakubo maravilhosa, Victor & Rolf, Martin Margiela, Anne Imholf (aloka, ela é artista mas eu acho que ela é estilista também haha). McQueen que eu queria ressuscitar ou morrer junto, sei lá. Passar mais um tempo com ele, foi muito pouco. E Vetements, que tem salvado a gente ultimamente.”

 

karlla4

Casa de Criadores – Quais as dicas que dá para quem quer começar uma marca de moda?
Karlla Girotto – “Não comece uma marca de moda. Ou, se for impossível não começar, se for mesmo absolutamente necessário, que você comece sem começar, que não tenha um objetivo real, palpável um lugar a chegar. Que você comece de mansinho, devagarinho, que vá se encantando com o caminho, com as descobertas, as pessoas que se apresentam. Esqueça o começo, esqueça de planilhar, não tenha plano de negócios. Faça porque você precisa fazer, que seja necessário como respirar. Porque de roupa, produto, planilha, plano de negócios, essas merdas todas, o mundo tá cheio, lotado. O que falta é amor, paixão, acontecimentos subjetivos – se desdobrando em coisas no mundo.”

karllaperfil3

Compartilhe: