Artistas interpretam o silêncio da obra de Leonilson em coletiva da Galeria Marilia Razuk

“A mostra ‘do silêncio: vers Leonilson’ parte de um dos muitos silêncios propostos por Leonilson em sua obra leve, transparente, frágil e muda. Cheia e vazia”, diz o release da exposição com curadoria de Ricardo Resende que a galeria Marilia Razuk abre no dia 10 deste mês em São Paulo. Para compor a mostra, os artistas Maria Leontina, Vanderlei Lopes, Sergio Romagnolo, Luiz Solha, Gustavo Rezende, João Castilho, Wagner Malta Tavares, Johanna Calle, Marina Weffort, Paulo Whitaker e Hilal Sami Hilal trabalham as muitas formas do silêncio. Casa de Criadores indica esta exposição!

Leonilson. Sem Título [Untitled], 1992. linha sobre voil [thread on voile], 19,5 x 29 cm.
Foto: Felipe Bartarelli/ Projeto Leonilson

Johanna Calle – Tácitos, 2007. Papel recortado 30 x 36,4 cm.

Sergio Romagnolo – Dois Girassóis, 2015. Acrílica s/ tela 60 x 80 cm.

RUA JERÔNIMO DA VEIGA, 131B E 62
SEG-SEX/ MON-FRI 10H30-19H
SÁB/ SAT 11H-16H
+ 55 11 3079-0853

* A Galeria Marília Razuk foi inaugurada em 1992, com o objetivo de divulgar, promover e difundir a produção contemporânea, através da represen- tação de artistas nacionais e internacionais de distintas gerações, da participação em feiras internacionais, e de exposições organizadas por curadores convidados. Possui dois espaços independentes, onde são apresentadas anualmente ao redor de dez exposições: a ‘Sala 1’, sede principal, proje- tada pelo arquiteto Roberto Loeb e inaugurada em 2010, e a ‘Sala 2’, um espaço menor e mais versátil, utilizado como project room para projetos especiais, em muitos casos site-specific. A demonstrar a abertura para os diversos âmbitos da criação artística que move a sua diretora, representa tanto nomes consagrados, e fundamentais para o correto entendimento da arte brasileira do século XX, como artistas emergentes, nacionais e internacionais.

 

Compartilhe: