Mais de 30 frases de Walter Rodrigues sobre o futuro da moda, diretamente de palestra da Lunelli

O Grupo Lunelli organizou nessa quarta-feira (31/1) em seu showroom no Bom Retiro uma palestra com Walter Rodrigues, cabeça pensante do Salão Inspiramais. Ele foi palestrar para parceiros e representantes do grupo. Antes de entrar nas frases mais marcantes que anotamos por lá, um resumo da ideia da pirâmide proposta pelo Inspiramais. “Somos um salão de inovação e negócios para toda a cadeia de moda. É aqui que pode ser encontrado quaisquer materiais para a criação de roupas, calçados e acessórios, bijuteria, mobiliário, decoração de interiores e o setor automobilístico. As empresas participantes recebem informações a partir da pesquisa realizada pelo Núcleo de Design Assintecal, que é coordenado por mim, e partir destas informações criam matérias que se transformarão em produtos de moda na próxima estação. O Salão Inspiramais é feito para os designers dos vários setores da moda, possibilitando a eles a visitação em mais de 130 empresas diversas, acomodadas no mesmo espaço, facilitando a busca por inovação. O Conexão Inspiramais apresenta logo na entrada uma exposição de todos os materiais inéditos criados para a estação – Verão 2019. Eles estão separados em três etapas: Materiais autorais (criados a partir da tecnologia e do embasamento de cada empresa participante, caracterizando os 10%; Apostas (materiais que estabelecem uma ligação entre as tendências do mercado, aqui é o território dos 30%); e os Massificados ou comerciais (que são a base para a moda de massa apresentados nos 60%). Esses três estágios combinados criam um planejamento ideal para as empresas arquitetarem suas coleções, com mais assertividade, menos erros e mais lucro. Ele é realizado pela Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de  Componentes para Couro, Calçados e Artefatos), pelo CICB (Centro da Indústrias de Curtume do Brasil) e Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), com o apoio de outras entidades setoriais. E mais Sebrae e Apex”. Agora as frases…

“Temos de pensar em vender, mas temos mais que tudo ser fiéis à nossa identidade, às características da marca”

“Moda é 50% cálculo, é a engenharia dos processos”

“Moda não é para amadores, é para quem pensa a médio e longo prazo”

“Eu como pesquisador não aguento mais falar em crise. Temos de avançar”

“Mais do que nunca o empresário tem de ter resistência para pensar no futuro”

“Com a ideia de resistir aos tempos de hoje, com personagens como Donald Trump, a roupa vai ficar mais teatral, mais divertida, porque ela será inspirada pelos imigrantes e suas culturas”

“Muitas vezes, quando a gente é estrangeiro em um lugar, percebemos as coisas mais fáceis”

“A Diesel fez uma campanha linda logo que Trump anunciou que iria fazer um muro entre os Estados Unidos e México. É assim que a moda resiste aos tempos de hoje”

“Nesse novo pensamento teremos mais volume em tudo, da roupa aos acessórios. Teremos também balonês e saias rodadas, e por aí vai…”

Arte: “As cores do artista Malevich, sua fixação pelas cores primárias, nos inspiraram muito” (foto acima)

 

“Faça sua própria cartela de cores, com seu smartphone mesmo, com coisas do seu cotidiano e inspirações pessoais, e poderá perceber que ela tudo a ver com as novidades que vêm por aí…”

Sobre o tema Leveza: “Pense no seu casado de frio de quatro anos atrás e o do último inverno. Estamos vivendo como nunca a leveza na moda, seja nas ideias ou no uso dos materiais”

Gravitacional, miniaturização e mais… “É preciso ser leve como o pássaro, e não como a pluma” – Walter disse essa inspiração vinda da citação que Calvino faz de Paul Valéry em seu ensaio “Seis Propostas para o Próximo Milênio “, quando ele argumenta sobre a leveza.

“Já percebeu que às vezes fazemos a mesma coisa que outra marca, de outro país, por exemplo? Isso tem fundamento”

Sobre reaproveitamento: “Ninguém mais tem dinheiro no mundo pra comprar uma Vuitton a cada seis meses”

“A ideia de ar, de borbulhas, vai invadir a moda nos próximos anos. Ah, e teremos muitas pérolas também”

“Criatividade exige raciocínio”

“Também apostamos na ideia das peças não terem ângulos, outras que parecem flutuar, além da aplicação de diferentes tecidos transparentes criando novas tonalidades e estampas sobre tules”

Coloque aí… “Peças mais fluidas, lânguidas, com caimentos mais moles. E por isso vamos precisar de tecidos mais macios”

Tema Elasticidade: “Vamos trabalhar mais e mais a elasticidade, a esqueletização”

Caveiras, de novo? “Pra turma do rock sempre vai ter espaço, mas a caveira volta de uma forma mais divertida, muito além do crânio”

Walter citou a Reserva

A moda que não vem da passarela: “Devemos ficar mais e mais de olho no que as pessoas estão usando nas primeiras filas dos desfiles. O streetstyle vai influenciar muito mais a moda”

Apropriação ou cópia? “Na na minha época, nos anos 80, apropriação era uma coisa comum, era como homenagear algo ou alguém. Hoje tem essa questão toda de apropriação…”

Adaptar ou Subverter: “Qual a peça da sua marca que você acha mais comercial? Pegue ela e traga de volta, mas de uma forma extraordinária”

Flores, ainda? “Sim, mas só se for dessa maneira extraordinária, e vai evoluir para bijoux, joias, acessórios”

Tudo azul: “É importante seguir apostando nos azuis, cor que o brasileiro ama e que está fazendo sucesso no mundo todo”

“Fundos negros, anote aí. O que o Dudu Bertholini chamou de black tropical, e que eu adorei o nome”

Mais ideias… “Diferentes alças que mudam o visual de uma bolsa, o navy, os babados que chegam até os jeans e nas bermudas masculinas, o patchwork feito com restos de produção de sua própria marca…”

Inacabado, mas pronto: “E pra fechar, essa ideia de inacabado, com franjas, desfiados… Muito interessante também”

Subversão: “Essa ideia do costurado aparente nas peças, amarrações exageradas”

“A gente acredita muito ainda nos veludos”

Exagere: “Saltos bijoux estarão com tudo e usar peças largas, até de coleções plus size, também”

Aqui, Walter com seus pupilos do Inspramais: Julia Webber e Lucius Vilar

Compartilhe: