Nina Jacobi é fotógrafa e conta pra gente suas referências e dá dicas para quem ama imagem!

Nina Jacobi foi a convidada do mês de abril para emprestar seu olhar de moda e fotografia para o ensaio Wirth Series, da marca de calçados (veja no final da entrevista). A pedido da gente, ela foi a própria modelo do ensaio, mas saiu completamente do lugar comum embarcando em um lance todo surreal para mostrar a coleção de outono da Wirth. Sobre Nina? Tem um estúdio em Pinheiros e trabalha com marcas do calibre do Shopping Eldorado, Santa Lolla, Mary Kay, St MArche, Lays, Fruta Clothing… No bate-papo, um pouco da história dela e, claro, dicas para nossos leitores. Diga aí, Nina…

Minha história
“Eu sempre gostei de fotografia e depois de morar em Londres, prestei faculdade de Fotografia no Senac. Havia feitos alguns cursos básicos por lá e o desejo de continuar a estudar deu certo! Comecei a trabalhar em uma agência de fotografia, a Fotosite, e de lá fui para o Glamurama. Depois de um tempo segui carreira sola. Montei a Flare Fotografia com o Lucas Fonseca, e somos sócios há 10 anos já!”

Gostos distintos
“Temos um estúdio em Pinheiros, eu e o Lucas, e clientes bem variados que vão do segmento de beleza, retrato e culinária. Nosso estúdio Flare Fotografia tem essa característica. Por sermos uma dupla temos interesses distintos e isso se reflete no nosso trabalho.”

Influências
“Uma das grandes influências sempre foi o Miguel Rio Branco, sua maneira de documentar, misturando seu olhar de denúncia com um mergulho no ambiente e suas cores fortes. Gosto muito do August Sander, retratista alemão maravilhoso que fez um inventário de alemães na época da Segunda Guerra. Richard Avedon tem um trabalho de retrato incrível! Ren Hang foi um fotografo chinês que morreu agora há pouco e que é muito incrível. Tinha um trabalho bem surreal e provocador, vale muito conhecer… Existem muitos maravilhosos…”

Quem é o fotógrafo?
“O fotografo é um produtor de imagens. Isso significa que ele atua de várias maneiras. Acho que hoje é bem difícil o fotógrafo apenas fotografar, ele participa de todas as etapas da produção: pensa junto o conceito, busca referências, monta uma equipe bacana e de confiança para o shooting, pensa na pós das imagens. O trabalho vai bem além de apenas clicar. Acho bacana participar do processo como um todo. Acho que a parte mais complicada para o fotografo é a parte de atendimento, prospecção.”

Para ser fotógrafo é preciso…
“Ver muita imagem, cinema, clipes… Estudar bastante, buscar referências e ter uma compreensão técnica bacana. É um equilíbrio entre técnica e um background de imagens/ideias legais, referências boas… Eu fiz a faculdade de fotografia do Senac e na época foi muito bacana, completo: uma boa mistura de técnica e teoria. Depois fiz a pós graduação na Faap que foi muito bom, com muita discussão e aprofundamento nas questões contemporâneas sobre a imagem e seus usos.”

Redes sociais atacam
“O excesso de imagens e a enorme facilidade para manipular toda e qualquer imagem geram uma banalização da imagem em geral, uma ideia de que é muito fácil produzir qualquer coisa, o que não é real. Acho que a maneira de permanecer ativo é produzir, ter uma constância, uma procura.. Estudar, produzir para além dos jobs…” (siga Nina Jacobi no Instagram)

Compartilhe: