Fashionista de carteirinha e cheio de credenciais dá dicas de contas para seguir no Instagram

Eduardo Jordão de Magalhães já nos brindou com os estilistas de Londres que vão tirar a moda do tédio, mas a gente pediu mais: contas do Instagram pra seguir e mergulhar mais a fundo nesse universo que cresce em quantidade e má qualidade, mas que também reúne espécies raras e com conteúdo.  Lembrando que Edu continua como consultor de marketing internacional e estilo, “trabalhando com marcas do Brasil, Europeias ( bom dia Brasil boa noite Itália kkkk ) mas arriscando escrever sobre Gastronomia e Design, cada vez mais perplexo com esse mundo dito moderno, com a autoridade com que se auto-proclamam os influencers (que para mim não passam de uma variação do vírus H1N1 e com a certeza de que cada vez menos não confio em ninguém com menos de 40 anos kkkkkk”, diz ele.

@GDCSM
Dave Kappo, meu amigo pessoal de longa data, é apenas um dos nomes mais importantes da indústria da moda internacional. No seu Instagram você não vai encontrar #selfies, #festas, #destinosexoticos, #fotosdecomida ou #celebridades, mas sim #muitotrabalho, #estilo e #paixaopormoda. Não que Dave não seja #belíssimo, #interessante, #viajado e com um senso de #estilo e propriedade, mas o todo-poderoso professor da bombada Central Saint Martins gosta mesmo é de fotografar os looks de seus alunos do curso de Pós-Graduação em Moda. Através de seu olhar apurado e muita determinação, ele tem formado toda uma nova geração de estilistas e designers que tem a sorte de tê-lo como mentor.  Até porque nesse mundo tão competitivo e numa tão indústria voraz, #sorteetalento não são nada sem uma excelente formação e Dave é, sem dúvida, um raro catalisador de talentos e sonhos.

David Kappo quando esteve em São Paulo no ano passado

@matieresfecales
Misture muito estilo, originalidade e audácia, agregue #DNA dos millennials com #RNA dos #centenialls com uma dose de #Kriptonita e voilà: você acaba de sentir as notas de base do coquetel futurista do duo #matieresfecales. Donos de um estilo singular e distópico, são na minha opinião o que há de mais interessante e apocalíptico na mesmice dessas gerações politicamente corretas empoderadas neo hippie veganas e passadistas (sic ). Photoshop, alienígenas, genderfluidismos e binarismos à parte , eles fundem e confundem todo e qualquer previsão algorítmica no sempre previsível mundo dessa geração pós-digital, numa catarse estilística onde o Fabuloso Admirável Mundo Novo deixa de ser uma fábula #AldousHuxleydiana para se tornar uma realidade Cyborg muito além das passarelas e sonhos de voos rasos de Lalos e cia das poderosas famiglias da tal Millennial Fashion.

@yumasui
Se você segue meu insta @eduardojordaodemagalhaes já deve ter percebido que não gosto de #micro #macro ou como gosto de chamar os #micobloggers, #pernosticosvloggers e #badInfluencers (esses então nem me fale, parece nome de uma nova gripe, daquelas infecções #virais que de vez em quando assolam o novidadeiro e pouco filtrado Universo da #esgotosferafashion lol. No entanto, sou forçado (ui !) a admitir que alguns profissionais desse mágico nicho digital superam seus colegas experts do #copyandpaste como é o caso do onipresente #Yumasui. Dotado de poderes paradigitais, o simpaticíssimo personagem #Yu percorre o mundo da moda, gastronomia em sintonia absoluta com o que há de mais novo e relevante no #UniversoParalelo do #bomgosto, item raro e em extinção dentre esses que se autoproclamam detentores das leis do #in&out e dos que seguem à risca o que há de pior nos #fashionhotsandhitstsdavida kkkkk

@dietprada
Já que entornei o caldo no post anterior e embalado pelo #Sake no voo do Japão de volta a Londres e com a flauta de #Pan(ico) e do #Penico soprando forte no ouvido somado ao risco de uma bronca daquelas do meu editor kkkk (que com razão está cobrando mais agilidade no retorno) com um toque de perdido no #fusoconfuso entre o #OcidenteeOriente, nada mais apropriado do que invocar os deuses do #azedumeacéticodomalhumorfashion e clamar pela presença da melhor conta do #fashionpolice do insta @dietprada. Todo mundo sabe que no mundo da moda nada se cria e tudo nos inspira kkk e essa é uma das contas mais temidas por todos aqueles que contam com o raso conhecimento dos #InfluencersZilenialls que arriscam o tal do #copy&paste autoral com toda a ingênua propriedade de quem, abusando da juventude ou #malandrice acreditam que possa passar incólumes sem chamar muita atenção…Ledo engano! Com um olhar mais rápido do que você possa soletrar #VETEMENTS, #GoschaRubichinsky #Balenciaga (e não Balenciagá como insistem em chamar o #Mestredosmestres, os francófilos, o povo do #MobralFashion ou os #pseudomodernosdepiracicaba), ninguém escapa do seu olhar #dequemsabesabe principalmente aqueles que ouviram o #galocantar mas #naosabemonde.

@thiswasfashion
O universo da moda é uma #metalinguagem assim como a #comunicacaonaoverbal, com seus próprios interesses, simbolismos e #silogismos. Um #universoparalelo onde o #certoouererrado e o bom gosto não seguem a #Moda mas sim o #estilo, esse Deus do Olimpo tão almejado e poucas vezes encontrado…
Como toda e qualquer outra linguagem, quem não conjuga seu passado não vai entender seu presente mais que perfeito e estará fadado a um futuro do pretérito num modo subjuntivo… Não entendeu nada ??? Não tem problema, essa conta vai explicar porque quem não conhece o passado da moda estará fadado a repeti-la mas sem o cachê da referência, que é o #bitcoin dos grandes poliglotas dessa Linguagem Universal.

Abaixo, o Edu em “Lost in Translation”

Compartilhe: