Weider Silveiro olha para a população LGBT sem teto e prepara coleção-protesto!

A coleção será apresentada na próxima edição da Casa de Criadores e Weider Silveiro também falou de suas parcerias e indica perfis no Instagram pra gente seguir.

Quando a roupa é a casa
“A coleção tem um viés político, é uma coleção que não deixa de ser um protesto. Faço uma espécie de denúncia falando dos LGBTs que estão em situação de rua, um grupo que só cresce principalmente em São Paulo. São pessoas que são colocadas para fora de casa por serem quem são. A coleção é feita pensando nessas pessoas, em qual seriam as roupas ideias para essas pessoas. Não vendo isso como uma situação ideal, mas já que elas estão nesta situação, qual seria a roupa, que roupa seria essa? Então eu faço uma coleção absurdamente plural no sentido de todos os estilos. São vários tipos, como são as pessoas, mas tudo com um grande perfume de utilitário. Essas pessoas precisam levar tudo com elas, pois elas não têm casa.”

“Esta coleção eu faço, de certa forma, com a curadoria de Neon Cunha, uma ativista trans. Ela é minha amiga e como este universo é mais próximo ao dela, o da militância, ela está me dando uma força”.

A nave segue
“Sobre minha marca, venho fazendo minha venda direta com o consumidor. Não tenho mais atravessadores, não vendo em mais nenhuma boutique. As pessoas compram diretamente comigo numa espécie de sob medida. Participei do Dragon Fashion em Fortaleza (vídeo abaixo), onde a gente recebeu o portal WGSN e no qual fui citado. digamos assim, como a coleção mais interessante. Isso me deixou muito feliz. Na verdade, este é o segundo ano que eles me dão destaque. Outra novidade é que fui convidado para participar da Mercedes Benz Fashion Week no Chile em outubro.”

Parceiros e novos parceiros
“As pessoas que estão comigo, ultimamente, é o meu modelista Dionísio Sipe e mais dois piloteiros: Marcelo Aranq e Eduardo Navajo. Estão comigo há mais de seis anos. Eu mudei de assistente, tenho mudado de stylist constantemente, até por conta das necessidades dos próprios stylists. Agora estou esperando a primeira reunião com a Flavia Pommianosky e o Davi Ramos, que é uma indicação da Suzana Barbosa da Revista Elle. Outra coisa que tenho feito constantemente é mudar a pessoa que faz a trilha sonora, até pra ver o olhar das pessoas. O último foi o Johnny Luxo. Nesta coleção nova eu ainda não pensei. Vou conversar com a Flavia e o David. Eu gosto dessas mudanças, sabe? O Max Weber vinha fazendo a beleza. Ainda não sei se ele vai fazer desta vez, mas sei que ele vai desfilar pra mim.”

Os perfis que Weider mais gosta são…

Lotta

Diet Prada

The Business of Fashion

Bambola star Kaxinawá

Bitothisbitothat

Johnny Luxo

Compartilhe: