Felipe Fanaia lembra das bandas emo que ouvia nos anos 2000 e conta novidades para o segundo semestre!

Felipe Fanaia levou para a 43ª da Casa de Criadores moda mergulhada no próprio passado: um jovem que curtia as bandas e o visual da chamada geração emo. O resultado foi tão impactante que ganhou destaque em publicações de moda do país. “Eu parti de detalhes, o quadriculado, a meia listrada cortada é usada como luva, a sobreposição de camiseta em cima de camisa, e deixei o mais literal para o make, que é óbvio, você olha e você enxerga o emo na hora. Eu sempre enxerguei o emo como uma apropriação de outras tribos, então busquei também trazer um pouco de punk, do grunge, do gótico, coloquei tudo dentro desse liquidificador que é minha cabeça e deu no que deu”, conta a estilista.

Mas como era ser emo nos anos 2000? “Na época eu era uma criança em Cuiabá, e não podia frequentar muitos lugares, então me encontrava com meus amigos na escola mesmo, nos shoppings da cidade, era aonde eu podia frequentar na época. Me lembro de ter vindo a São Paulo nessa época e fiquei muito encantado com a Galeria do Rock às sextas feiras, lembro muito do Bocage, ali na Consolação, o Atari Clube. Acho que desses nenhum existe mais, só a Galeria do Rock mesmo”, continua o estilista.

Confira aqui a crítica que Lilian Pacce fez da coleção.

Das bandas que mais gosta dessa época, Felipe cita “as mais tocadas na minha playlist na época: NxZero, Fresno, My Chemical Romance, The Used, Simple Plan e Good Charlotte, entre outras milhares! Hahaha. É difícil selecionar”.

Cabe aqui as novidades para o segundo semestre da marca Felipe Fanaia: “Agora seguimos trabalhando firme na nossa loja, a Das Haus, e focando muito na loja online que a gente acabou de lançar. A agora tem mais uma Casa de Criadores e Natal! Então seguimos o planejamento!”. Abaixo, fotos do desfile na 43ª da Casa de Criadores.

Compartilhe: