No roteiro da semana… Guilherme Licurgo, Akinori Nakatani, Irving Penn, Bob Wolfenson, Daniel Belleza e mais…

Mais uma semana de muitos motivos pra não se perder no edredon assassino. Anote aí!

Dia 21, nesta terça, tem a exposição “Manifesto” de Guilherme Licurgo, que além de bonito e fofo é um super fotógrafo. Organizada pela Verve Galeria, a mostra tem curadoria de Ian Duarte Lucas. São 15 trabalhos inéditos, com produção de conteúdo mais político. O fotógrafo lança luz sobre a histórica exclusão da população brasileira nos processos de tomada de decisão no país. “’Manifesto’ é a dialética entre o indivíduo e o coletivo. Uma representação de pensamentos apoiados nas máximas de grandes referências da Sociologia e da Filosofia”, diz o release.

A partir de referências de pensadores clássicos como Hegel e Émile Durkheim, passando pelos contemporâneos Zygmunt Bauman e Slavoj Žižek, Licurgo vai dos cheios aos vazios, de multidões a solidões. A data marca o início das comemorações do aniversário de 5 anos da Galeria. Neste mesmo dia, a designer Sarah Chofakian inaugura também na Rua Lisboa o seu ArtLab, espaço de criação e laboratório de ideias.

Das 19:00 às 23:00
Verve Galeria
Rua Lisboa, 285, 05413-000 São Paulo

Já no dia 23, quinta-feira, tem o “Chawan Project 2018”. Este é o terceiro encontro do projeto organizado pela Japan House. Desta vez, o convidado é o ceramista Akinori Nakatani, que nasceu em 1943 em Osaka. “Chegou ao Brasil em fevereiro de 1974, ainda impressionado com uma reportagem sobre o Amazonas na televisão que havia assistido aos 15 anos. As imagens ainda persistiam em sua memória e o trouxeram a terras brasileiras. Nakatani já fazia cerâmica no Japão e trouxe sua arte para nossas terras. Seu primeiro ateliê foi em São Simão, interior de São Paulo, onde fez tijolos e com eles construiu seu primeiro forno”, diz o release. As senhas deverão ser retiradas 1h antes na recepção. A confirmação da presença neste evento não garante lugar na palestra. O chawan é um utensílio básico na cozinha japonesa – a tigela, uma redução ocidental, pois dentro de um chawan japonês “existe todo um universo”, como sabiamente explicam ceramistas japoneses. A atemporalidade do chawan se mostra em suas formas, desde as mais tradicionais até as mais contemporâneas, traduzindo em designs toda a simplicidade e a complexidade desse objeto único.

O Chawan Project vai trazer ceramistas japoneses em um ciclo de oito palestras na Japan House São Paulo.

Horário: das 19h às 20h
JAPAN HOUSE
Av. Paulista, 52

Quinta-feira também tem visita guiada com Jeff L. Rosenheim à exposição de Irving Penn, com exposição organizada pelo IMS Paulista e Instituto Moreira Salles. O espaço poderoso na Paulista promove uma visita com Jeff, que é do departamento de fotografia do The Metropolitan Museum of Art, New York. No dia 23 de agosto, às 14h. Entrada gratuita, sujeita à lotação. Lembrando que a retrospectiva “Irving Penn: centenário”, em homenagem aos 100 anos de nascimento do fotógrafo norte-americano, apresentará nas galerias 2 e 3 do IMS Paulista mais de 230 fotografias concebidas ao longo de quase 70 anos de carreira, além de cerca de 20 periódicos.  Saiba mais aqui.

IMS Paulista
Avenida Paulista, 2424
Gratuito

Sexta é dia, ou noite, quer dizer, de entrar no mundo do super Bob Wolfenson. A exposição “Retratos” vai até 9 de dezembro. “Ao longo de quase 50 anos de carreira, Bob Wolfenson tornou-se uma referência de âmbito nacional como fotógrafo de retrato, nu e moda, com livre trânsito entre a arte e a publicidade. A exposição ‘Bob Wolfenson: retratos’ apresenta momentos marcantes de uma atividade profissional intensa. A mostra traz mais de 220 fotografias, várias delas ainda inéditas, realizadas desde a década de 70 até a atualidade!”, diz o convite. No Espaço Cultural Porto Seguro.

Alameda Barão de Piracicaba, 610
Campos Elíseos
Gratuito

Bom, hora de relaxar na pista, no bar, no barulho… Dia 24 tem a festa From Ziggy to Iggy no Z Carniceria. “A banda paulistana Daniel Belleza & os Corações em Fúria, conhecida por suas performances arrebatadoras, faz no Z um show imperdível. Várias canções clássicas de David Bowie e da carreira solo de Iggy Pop, todas em arranjos impactantes,em um show único, recriando a energia no palco de dois dos maiores ícones do Rock’n’roll de todos os tempos. O show de abertura será por conta da banda Sky Down, que já e referente no ‘escenário’ independente de São Paulo”, diz o convite. Discotecagem por conta da maravilhosa Dani Pinesi e a dupla Daniel Belleza e Joe Klenner.

Z Carniceria
Av. Faria Lima 724 
Pague no evento

Sábado chegou e é hora de amenizar as batidas. Vamos de Anelis Assumpção com Tulipa Ruiz no Auditório do Ibirapuera. “A cantora e compositora Anelis Assumpção sobe ao palco, acompanhada por sua banda, para apresentar o show ‘Taurina’, homônimo ao seu terceiro álbum solo. O trabalho faz referência astrológica ao signo de touro e uma sutil comparação entre a mulher e a vaca – animal que aparece com significados diversos em diferentes culturas. Reflete a vontade da artista de ‘comer o mundo’ – “e também de ficar deitada no sofá sem fazer nada”, explica ela, que recebe nesse show a participação especial de Tulipa Ruiz”, diz o malucão do convite. Às 21hs, Ok?

ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)
classificação: 12 anos
A apresentação contará com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).
informações: www.auditorioibirapuera.com.br
tel.: 3629-1075 ou info@auditorioibirapuera.com.br

E, pra finalizar nosso roteiro da semana, a “Arte tem gênero? Mulheres na Coleção de Arte da Cidade”, que o Centro Cultural São Paulo já colocou em cena. “A Coleção de Arte da Cidade – antiga Pinacoteca Municipal, sob guarda do Centro Cultural São Paulo – CCSP, é um dos mais importantes acervos públicos de arte brasileira. Como em outras coleções institucionais, o número de obras de mulheres artistas no acervo é indicativo, ou seja, desigual, desproporcional entre artistas dos sexos masculino e feminino. Assunto que tem despertado atenção de algumas instituições e que vem adensando o debate em torno dessas questões. Nesse sentido, a exposição ‘Arte tem gênero? Mulheres na Coleção de Arte da Cidade’ destaca a produção artística contemporânea de mulheres presentes no acervo do CCSP. A mostra, organizada simplesmente em função de gênero, propõe que o público responda a indagação a partir das obras expostas de Ana Maria Tavares, Carmela Gross, Célia Euvaldo, Dora Longo Bahia, Jac Leirner, Lydia Okumura, Lygia Pape, Nazareth Pacheco, Regina Silveira, Regina Vater, Rosana Paulino, entre outras”, diz o convite.

A mostra fica no Piso Flávio de Carvalho e pode ser visitada gratuitamente de terça a sexta, das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h. Não há necessidade de retirada de ingressos. Saiba mais aqui. Programação completa do Centro Cultural.

 

Compartilhe: