Da democracia ao fascismo, do feminismo ao machismo: o significado de 15 termos do tipo urgentes!

Há termos que andam saltando do dicionário e não é à toa, né, minha gente? Que loucura é essa neste mundo? Bom, a gente, que só quer seguir a vida sendo nós mesmos, com todas as delícia e dores da democracia, criamos uma lista de termos para conferir e até mandar pros amigos, tias, tios, sobrinhos etc. A ideia não é julgar, tá? Só levantar algumas questões tão urgentes nos dias atuais. Desafio feito, vamos lá!

Fascismo é qualquer movimento político e filosófico ou regime que faz prevalecer os conceitos de nação e raça sobre os valores individuais e que é representado por um governo autocrático, centralizado na figura de um ditador. Apoiar ideais fascistas faz da pessoa uma fascista? Tire suas próprias conclusões…

Do grego demo (povo) e kracia (governo), a democracia está fácil fácil de responder: é o governo do povo. É um sistema em que as pessoas podem participar da vida política do país, seja pelo voto ou por outras formas de consulta popular, como plebiscitos e referendos. E, claro, a liberdade de expressão através das artes e das manifestações públicas e pessoais. A democracia é antiga, viu? Surgiu na Grécia Antiga e hoje em dia é amplamente difundida pelo mundo.

Nazismo, ô palavra pesada… Ele foi uma política de ditadura que governou a Alemanha entre 1933 e 1945. Entre seus principais ideais, o antissemitismo, palavra tão carregada de preconceito como ela própria. Vixi, julguei, mas nesse caso é difícil ficar em cima do muro.

Movimento de resistência é uma iniciativa de um grupo que defende uma causa normalmente política, na luta contra um invasor em um país ocupado. É a luta contra a autoridade e pode se referir também a qualquer esforço organizado por defensores de um ideal comum contra uma autoridade constituída. Armada ou não, a resistência luta contra alguma autoridade imposta. O oposto da resistência é o colaboracionismo.

Resiliência é uma palavra que esbanja nobreza. Substantivo feminino, conceitualmente é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. No sentido figurado, é a capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças. É voltar ao estado natural, se restabelecer, resistir.

O feminismo, definitivamente, não quer que as mulheres sejam superiores aos homens. Quer que os gêneros sejam tratados de forma igual. No dicionário, é uma doutrina que quer aprimorar e ampliar o papel e os direitos das mulheres na sociedade. É um movimento social e político que existe desde o século 19. O machismo luta contra o feminismo por, entre outras razões, acreditar que ele quer tomar seu lugar.

Humanismo é um sistema filosófico de pensamento, não um movimento social ou político, diz o dicionário. Refere-se à valorização do pensamento e da produção humana, em oposição à ideia de um ser sobrenatural que comanda o mundo. Os humanistas, por assim dizer, se prendem às provas concretas e pregam que estamos vagando no acaso, ao contrário da ideia de que nosso destino já foi traçado por Deus. Para se pensar….

Iluminismo é um movimento cultural que se desenvolveu na Inglaterra, Holanda e França nos séculos 17 e 18, avisa o Aurélio. Naquela época, o desenvolvimento intelectual, que vinha ocorrendo desde o Renascimento, deu origem a ideias de liberdade política e econômica, defendidas pela burguesia. O Iluminismo foi um movimento intelectual que defendia o uso da razão (luz) contra o antigo regime (trevas) e pregava maior liberdade econômica e política. “Liberdade, igualdade e fraternidade” vêm daí. É a ciência no lugar da religião. Agora, imagina só os reis lidando com a propagação dos ideias iluministas pelo mundo?

Vamos lá: totalitarismo é basicamente um sistema de governo totalitário, conceito político no qual o homem é servo do Estado. Tipo assim: o líder de uma nação tem o controle absoluto dos direitos dos cidadãos, em suposto benefício geral do país. O líder totalitário pode ser uma pessoa, um grupo ou um partido. O governo totalitário exerce total controle sobre os meios de comunicação e força até as escolas públicas a ensinar de acordo com as linhas do partido. A liberdade de religião também não existe em um Estado totalitário, pois só permite a existência das igrejas cujos ministros cooperem com o governo. Sindicatos livres também são ilegais.

Igualdade de gêneros é bem simples: homens e mulheres devem ter os mesmos direitos e deveres. Entra aí a igualdade sexual, eliminando preconceitos e discriminações. A luta pela igualdade de gênero ficou forte em meados do século 20, impulsionada pelo movimento feminista. Um nome para se lembrar? A francesa Simone de Beauvoir.

Comunismo, termo que o brasileiro não para de falar há décadas, significa o que, hein? O dicionário diz que se trata de uma organização socioeconômica baseada na propriedade coletiva dos meios de produção e, mais, doutrina econômica e política que preconiza tal organização. A ideia é que todas as pessoas teriam o mesmo direito a tudo, mediante a abolição da propriedade privada. A partir dos séculos 19 e 20 o termo foi usado para qualificar um movimento político. O comunismo tem a sua fundamentação teórica nas teorias do Estado dos sofistas gregos e na obra “República”, de Platão, porque a Grécia-Antiga previa a formação de uma sociedade em que as classes sociais não existiriam. Aristóteles era contra. E muitos e muitos outros depois, por conta da questão da tutela do estado. O comunismo, por colocar burguesia e proletariado em conflito, é um tema polêmico.

O socialismo, uma doutrina política e econômica, surgiu entre o fim do século 18 e a primeira metade do século 19 dentro do contexto da Primeira Revolução Industrial. O princípio é a igualdade, repensando o sistema capitalista. O mundo já experimentou sistemas socialistas, com fracassos e acertos. Basicamente o socialismo também pensa no coletivo até chegar ao indivíduo, enquanto o capitalismo pensa ao contrário: na força do indivíduo até chegar ao coletivo. Talvez o que difere o socialismo do comunismo, pensando de uma maneira bem simplista, é que o socialismo busca mais direitos aos trabalhadores e, assim, garantindo mais lucro ao empregador, enquanto o comunismo parece ser uma doutrina mais radical no sentido da igualdade e, portanto, mais “perigosa” aos olhos das classes dominantes. Para se pensar e pesquisar, tá?

Interessante pensar em estado de exceção, já que consiste numa medida temporária usada em situações emergenciais pelo Governo, quando direitos individuais dos cidadãos podem ser suprimidos, visando o estabelecimento da ordem e da paz social. É assim: a suspensão do estado de direito através do próprio direito, ou seja, por meio de leis constitucionais de preveem esta medida. Mas só seria usado em casos extremos, quando os cidadãos e instituições não podem depender da legislação para se defenderem. Agora, imagine o estado de exceção usado por alguém que desrespeita os direitos? Bum!

E, para terminar, mas pensando que existem tantos outros termos a serem pensados, temos o estado laico, que significa um país ou nação com uma posição neutra no campo religioso. O estado teria de ser imparcial em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião. Um estado laico defende a liberdade religiosa a todos os seus cidadãos e não permite a interferência de correntes religiosas em matérias sociopolíticas e culturais, entendeu? E mesmo que um país seja majoritariamente cristão, como o nosso, o estado laico existe como um “agente neutro”.

PS – Imagem acima: “LEFT, RIGHT, LEFT, RIGHT”, obra de Annette Lemieux que retrata Martin Luther King, Jane Fonda e mais personalidades. 

Compartilhe: