Diego Gama desfila coleção pautada por experimentação em torno de elementos visuais e táteis

Diego Gama, que também desfilou no segundo dia da 44ª edição da Casa de Criadores, apresentou a coleção KAFU’NU, que propõe um olhar sobre a maneira como a humanidade cultiva as relações na atualidade, com temas como angústia e crise afetiva. O estilista se volta para suas relações pessoais buscando extrair elementos visuais, formais ou táteis que põem em questão a qualidade com que estamos tecendo os ecossistemas afetivos.

A modelagem de cada look da coleção foi criada a partir de uma técnica tão experimental quanto metafórica: Diego convidou diferentes pessoas para permanecerem, por muitos minutos, em posições de demonstração de carinho (especialmente o abraço) enquanto as embalava completamente com fita adesiva, dos pés à cabeça, imobilizando os corpos temporariamente para extrair a superfície dessa forma que, após planificada, serviu de molde para dar início à construção de cada peça. Semelhante às coleções anteriores, Diego se lançou em um conjunto de experimentações delicadas sobre materiais e processos alternativos: silicone, argila, barbante, gravura em metal, cerâmica, estamparia manual e digital, pedras, plantas, tricô de náilon, espuma de poliuretano, gesso e látex se transformaram em roupas, calçados e acessórios. Deste modo, cada peça é única.

Outro tema é o modo como nos relacionamos com o reino vegetal, sugerindo uma nova sensibilidade a partir da escuta. Isso se traduziu na passarela com modelos se transmutando em criaturas vegetais. Por isso os cabelos-planta. Puro questionamento. Confira o desfile abaixo.

Compartilhe: