Imperfeito? Cajá entra no debate e trata do futuro da mulher na sociedade brasileira

Futuro Imperfeito é o tema que a Cajá usou para mostrar sua segunda coleção no line-up da Casa de Criadores. Ela trouxe uma discussão atemporal acerca do futuro e das perspectivas e lutas da mulher em um cenário de conquistas sociais e políticas estabelecidas. A temática central do que a marca chama de debate parte da condição de ser mulher em seu tempo.

“São as peças que discutem a potência e a pluralidade do ser feminino, trazendo reflexões quanto a força, espiritualidade e beleza sobre os corpos dessas mulheres. O tempo e o espaço fundem-se em uma narrativa não linear, de forma que o futuro se torna uma extensão abstrata do presente, acontecendo agora mesmo. Os próximos passos, livres de estereótipos relacionados ao passado, provocam um diálogo sobre a estética desse novo momento, passando por questões de gênero e sexualidade. Mais do que respostas, essa coleção discute ideias a partir de uma questão central: como será o futuro imperfeito?”, diz a estilista Gabriela Cajado.

Buscando tecer novas narrativas e conectar passado, presente e futuro, a Cajá desenvolve uma nova pesquisa sobre o tempo. “O futuro é presente nessa busca, interligando questões sobre identidade de gênero, sexualidade e a potência feminina em um momento no tempo e espaço no qual a liberdade é concedida. São indagações sobre a força, a estética e a espiritualidade do feminino em um futuro que ainda não aconteceu. O tempo é tratado de forma não linear, coexistindo com o aqui e o agora. A inspiração dessa coleção é centrada na feminilidade em futuras ressignificações”, completa.

Sobre os tecidos, um mix de sarja e tricoline de algodão, tactel e lycra de poliamida, e principalmente os tapetes e tecidos que foram trançados manualmente, que representam o resgate a valores importantes. Com eles, texturas ora cruas, ora brilhantes fazendo conexão temporal entre uma paleta de cores que tem como plano de fundo o branco tradicional, passando por cores intensas como verde e tomate, chegando ao neon – a luminosidade do lilás, do verde e do rosa.

Compartilhe: