Isaac Silva convoca as orixás Nãnã Bukuru, Oyá-Yansã, Iemanjá e Oxum para seu desfile. Confira!

Isaac Silva veio inspirado em figuras fortes e místicas, com uma coleção cheia de simbolismo e muito axé. O ponto de partida são as quatro principais orixás responsáveis pelo equilíbrio da Terra e da vida: Nãnã Bukuru, Oyá-Yansã, Iemanjá e Oxum, que ganharam a passarela da 44ª Casa de Criadores.

Nãnã Bukuru é a mais antiga divindade das águas paradas, dos lagos e pântanos. Sua dança lembra os passos lentos de uma senhora idosa, apoiada num bastão imaginário com o corpo inclinado para frente. As aparências que representam essa Yabá são longas, robustas e com um toque de sobriedade. Para Oyá-Yansã, a divindade dos ventos e das tempestade do rio Niger, Isaac preparou peças chamativas assim como a dança dessa guerreira, que agita os braços como se enxotasse as almas. Iemanjá é leve e fluida como a calmaria das águas do fundo do mar. Mas em alguns momentos ela pode ser imponente e delicada como uma onda que surge de uma marola. Controladora da fecundidade e das águas doces, Oxum é sexy e subiu à passarela em tons de dourados e recortes ousados.

A coleção Yabas de Isaac Silva tem patrocínio da Sou de Algodão e apoio da MAC. O estilista teve a colaboração de Adriana Meira e da stylist Nayara Reias. A beleza foi assinada por Rogério Santana e com trilha sonora do Coletivo Amem. Ah, e tricôs do Estudio Artii, sapatos Aurora e acessórios Vitor Hugo, Gustavo Silvestre, Afrotick e Ojire.

Compartilhe: