O vento na mitologia, literatura e cultura popular inspirou a estilista Angela Brito

O aspecto rasgante do vento, representado muitas vezes na mitologia, literatura e cultura popular como o anúncio da incerteza e da calamidade é o ponto de partida da coleção Vento Leste de Angela Brito. A estilista ressignifica em sua coleção o presságio da devastação, contido na figura do Vento Leste, dando-o um sentido mais amplo que o sofrimento.

A representação da devastação gira em torno de um movimento de deslocamento e desmonte que rompe com um mundo elaborado para a estagnação. Essa ventania dinâmica representa, sobretudo, a movimentação de corpos dissonantes que invadem e ocupam espaços delimitados. Corpos estes que, não sendo bem-vindos causam o incômodo e a desesperação daqueles que desejam manter o mundo em seu “perfeito” estado de desigualdade.

Na coleção Vento Leste o algodão foi eleito como fibra principal. As cores se alternam, variando entre tons sóbrios como cinzas e marinhos, passando pelo vermelho forte e vibrante, e aos tons serenos.

Compartilhe: